CASAMENTOS

HELGA E GLAUCIO

O desconhecido é como um abismo, você tem três alternativas, pular  de cabeça e se machucar, não se arriscar, ou pular e ter um chão bem  abaixo de você, e com isso te restar uma linda paisagem abaixo do seus  pés e em segurança. O amor tem uma ligação com essa história pra mim, é  um encontro de duas pessoas, as duas nunca sabem se arrisca ou não, mas a  gente sabe exatamente quando devemos pular de cabeça, ops, de coração. É  assim fazemos na maioria das vezes, a verdade é que somos submetidos a  uma necessidade de vivermos e dividirmos nossas histórias com o amor de  nossas vidas, é um sentimento muito complexo, difícil demais de ser  entendido, mas nessas horas, a gente só quer viver e sentir. O dia do  casamento é quase como um abismo, acontece todos os sentimentos  possíveis nessa hora, enquanto você se arruma, bate aquela incerteza:  será que ela vai? será que ele já chegou na igreja? Os meus votos estão  bons? Não! Vou escrever de novo!

O casamento é cheio de incertezas,  coitado daquele que casa achando que vai ter conforto no colo de alguém o  tempo inteiro, rola insegurança, rola segurança demais, rola preguiça,  rola muita viagem, muita pipoca com Netflix, briguinhas idiotas,  briguinhas sérias, mas o melhor de tudo, rola muito companheirismo,  amizade, amor, cumplicidade, o casamento é incerto, mas é lindo demais.

E  a Helga e o Glaucio, construíram isso, com a maior certeza das  incertezas que o casamento traria pra eles, e o mais foda de tudo, eles  estavam super dispostos a viver tudo isso, toda essa intensidade, toda  essa descoberta, juntos! Bem ali, na beirinha do abismo, mas com a  certeza que a cada pulo estão dando, tem um chão logo abaixo deles.